terça-feira, 4 de julho de 2017

Texto #22 (Do medo infinito de te perder.)

 Abri tantas vezes essa folha em branco, escrevi mil começos e apaguei mil e um, ouvi e reli suas mensagens, aquela em que você confessava seu medo, sorri tanto que não sabia mais ser possível, senti meu coração pulsar em um ritmo que não conseguia lembrar e por tantas vezes fechei os olhos e te imaginei aqui para beijar teus lábios, teu rosto e teu ser.
 Escutei aquela música e chorei em silêncio, chorei com medo de te perder agora que consegui te achar, chorei com vontade de acordar ao seu lado. Chorei com medo.
 Estou em casa e sinto como se meu verão tivesse acabado, estou em casa e tudo voltou ao normal, voltamos a ser duas desconhecidas que compartilharam algumas tardes, você foi o meu raio de sol iluminando meu dias, meu romance de veraneio no meio do inverno e agora tenho medo de congelar sem meu pequeno raio de sol.
 Preciso dizer que tenho medo de aparecer outra para tomar meu lugar, que agora que estou em casa você irá me esquecer enquanto me lembro de ti tantas vezes ao dia, enquanto me lembro de ti em meus sonhos, ao acordar e no banho. Tenho medo de você me esquecer enquanto eu não paro de pensar em ti, enquanto releio suas mensagens, enquanto sorrio dos seus áudios salvos em meu celular, enquanto eu passo o dia querendo voltar para casa e te encontrar em minha cama.
  Preciso confessar que sinto mais saudades do que deveria, que meu coração derrete quando você me diz que pensou em mim e que sente saudades. Preciso confessar que tenho vontade de pegar o primeiro ônibus e descer na sua casa só para lhe dar mais um beijo, só para dizer que estava pensando em ti.
 Escrevi mil e um começos, mas não consigo escrever um fim.
 Não quero escrever um fim.
 Nossa história ainda não acabou...

Nenhum comentário:

Postar um comentário