quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Ah guria.


Como posso não pensar? Se quando fecho os olhos, vejo os teus, me olhando por de baixo do emaranhado de cílios pretos.
 Se quando fecho os olhos, sinto tuas mãos em volta de mim, me puxando pra si. Ou teus dedos traçando círculos em minha coxa no meio do carro lotado, onde ninguém poderia perceber.
 Como posso não pensar, se toda vez que fecho os olhos escuto tua risada, sinto teus lábios nos meus, se te sinto tão perto como se eu pudesse te tocar mais uma vez.
 Ah guria, como eu queria.
 Como eu queria esticar meus braços e te sentir do meu lado, como eu queria me deitar do teu lado e adormecer depois de uma noite de loucura. Acordar ao teu lado e começar tudo de novo.
 Ah guria, como eu queria.
 Como não pensar, se fecho os olhos e posso sentir teu toque, por todo meu corpo, meu corpo esse tremeluzindo a meia luz, não escuto, nem vejo o que passa na TV. Apenas escuto sua voz, me guiando, me levando ao céu, me livrando do peso da terra.
 Ah guria, como eu queria.
 Como eu queria.
 Só uma noite guria, me dê o seu prazer só uma noite.
 Ah guria. Como eu queria.
 Mas eu me deito e penso em você. Em seus olhos me olhando de baixo do emaranhado de cílios pretos. Seus olhos esses que fazem meu coração parar, e minha mente funcionar.
 Como eu queria, ah guria, como eu queria não pensar.